No reino dos Glosters

ALGUNS CONSELHOS PRÁTICOS SOBRE CANÁRIOS

 Eclosão – Alimentação – Anilhamento – Separação

   Eclosão

No fim do periodo de incubação ao longo do qual o embrião se desenvolveu dentro do ovo o jovem vai bicar a casca com a excrescência córnea do seu bico chamada diamante. A mãe pode assim intervir nesta operação delicada. A casca vai então partir-se ao meio, libertando assim o passarinho. Ela chega a comer completamente a casca vazia mas a maior parte das vezes estas são retiradas para fora do ninho. A eclosão dá-se normalmente ao 13º ou ao 14º dia, mas caso não nasçam todos poderá aguardar-se mais dois dias.

                                                    Alimentação

Dois a três dias antes do nascimento, colocar `a disposição dos pais, todo o material necessário para uma correcta alimentação. A mãe é atenciosa, pelo menos na primeira semana para  alimentar os filhotes, da sua alimentação dependerá o sucesso das jovens aves. A fêmea encarregar-se-á da limpeza do ninho, isso deverá acontecer até ao  12º dia, após esta data as jovens aves deverão ser capazes de expelir as suas necessidades para fora do ninho. Deverá ter-se em conta que alguns casais não alimentam bem, aí o criador terá que ter relativa importância, pois tem que alimentar as jovens aves, com papas próprias que há à venda nas lojas da especialidade, ( ex. Papa baby papex , entre outras) , ou terá que colocar as jovens aves, noutros casais que tenham filhotes com a mesma idade. Por experiência própria, um casal que não alimenta bem na primeira postura , raramente alimenta bem nas seguintes posturas. Terá  o criador que ter o redobrado cuidado.

 Anilhamento

Qual o momento para anilhar a ave?

Normalmente entre o 5º e o 6º dia, no entanto deverá ter-se em conta, que conta muito a alimentação dos pais. A anilha é o bilhete de identidade da ave, pois nela consta o seguinte: ano de nascimento, numero de ave e nº stam , a sigla do clube a que pertence. A anilha é fechada e não permite a falsificação da identidade do pássaro. O Anilhamento é feito da seguinte forma : Colocam-se os três dedos da frente dentro da anilha, depois fazendo subir a anilha pela pata passará o outro dedo, estando aí a anilha colocada.

 Separação das jovens aves

Normalmente as jovens aves separam-se por volta do 30º dia após o nascimento. Mas o mais aconselhável é verificar se eles já se alimentam sozinhos, após esta operação, colocar as aves em viveiros não muito grandes. Por á disposição das jovens aves, água , sementes ,papas , papa de criação, vitaminas e sais minerais.

 Entretanto os pais continuam o seu ciclo de produção.

Por Patrick Barros 

Anilhar

 

 Como Anilhar os nossos Passaritos

COMO ANILHAR CANÁRIOS

CANÁRIOS PORTE: Lizard, Gibber Italicus, Gloster, Scotch Fancy, Fife Fancy, Frisado Norte/Sul, Poupa Alemão, Frisado Suiço, Munchener, Fiorino, Mackich - Anilhas de 2,9mm

Criar  Glosters

  Sabemos que se acasala um consort com um corona quando criamos Glosters mas estamos a criar para produzir coroas premiadas ou consort premiados? Você pensou e disse ambos? É tempo para repensar nossas teorias.

O primeiro ponto é a afirmação de que o exemplar de cabeça grande deve ser usado para a produção de campeões com coroa.

Estes pares de cabeça grande deveriam ser usados, ao contrário, na tentativa de produzir uma linha premiada de consorts, se essa é a direcção que a pessoa deseja ir.

Esses criadores que ganham principalmente com os consorts tendem, geralmente, a produzir canários com coroas defecientes.

Aqui fica uma palavra de advertência: Esteja atento ao facto de que há criadores desta raça que, principalmente por causa da falta de conhecimento em genética, experimentam continuamente. São estes mesmos criadores que vao misturar canários que vem de algumas linhagens que usam um plantel de Glosters em várias cores e de vários criadores, na tentativa de desenvolver uma "linhagem" de vencedores. O facto é que eles nunca tiveram uma linhagem sua, de seu próprio desenvolvimento.

Alguns destes mesmos criadores vendem os canários jovens excedentes, considerados  refugos destas experiências mal sucedidas, aos novos criadores, que terão maus resultados na sua criação. Este criador que desova seu lixo aos novatos, está prestando um mau serviço a canaricultura.

Vendendo os refugos destas experiências, asseguram que qualquer descendência que o comprador produza nunca os baterá em concursos no futuro. O "campeão" ou vencedor da raça que vende este tipo de refugo não sabe onde aquele novato aparecerá com qualquer pássaro jovem, produzido do que ele lhe vendeu, e assim restringiu que o dele pontue bem na temporada de concurso. Esta prática só desencoraja o novo criador.

Em lugar de ajudar o criador novato, alguns criadores que ganham regularmente os concursos, se recusam a compartilhar o conhecimento, teorias e métodos alcançados por eles. Muitos morreram até mesmo com estes "segredos" que foram enterrados com eles.

O segundo ponto é aquele sobre o que se deve ter como qualidade top para concurso.

Normalmente, um juiz educado e honesto considera as coroas de canários premiados muito menores em tamanho do que o criador consideraria. Este deveria levar em conta que se o juiz está seleccionando espécimes em relação a tamanho, de acordo com o padrão de perfeição, este nunca deve emparelhar dois canários campeões (pequenos). Esta prática só resultará em exemplares menores. O criador deveria acasalar um médio, ou pássaro de tamanho maior a um pássaro campeão premiado menor para ter ninhada de digamos, quatro ovos, dois pássaros de acção (para criar) e dois pássaros de concurso. Deve-se também usar o método de acasalamento quantitativo para produzir os números necessários para se ter sucesso. Acasalamentos correctos devem render a cada estação de cria, campeões de concurso. Devemos ter machos para casais produtores de coroa e fêmeas também produtoras de coroa. E nós nem estamos a falar sobre todas as variedades de cores.

Para começar uma criação ou uma linhagem, o criador têm de produzir os pares iniciais ou trios comprados.

O criador de quem a pessoa adquiriu os casais para iniciar, tem a  responsabilidade de ensinar e averiguar o que está sendo produzido por ele. Com os Glosters, há muitas características que a pessoa está pensando em obter, assim como também muitas falhas que está tentando eliminar dependendo da fonte original (matrizes).

Ambos, o criador novato e o já experiente estão se esforçando para melhorar continuamente e assim tem que se esforçar para absorver muita informação correcta sobre este assunto para ter êxito.

. Muitos criadores não entendem sobre as penas em canários e é pior com os Gloster porque muitos criadores usaram acasalamentos durante anos sem prestar atenção à combinação, da cor da pena , textura, comprimento ou largura.

A maioria é forçada a ver de facto pessoalmente cada um dos vários representantes da raça e solicitar explicações por parte um criador experiente e que tem uma compreensão completa do assunto. Deveríamos e isto já ocorre com alguns criadores na Europa . Entregar ao criador que está adquirindo nossos canários, uma ficha completa, com toda informação sobre o canário, seus pais, avós, tipos de pena, etc...

Assim eles podem ver as diferenças em todo pássaro contido na remessa. Isto ajuda o criador mais detalhista a entender o raciocínio atrás do porque eles são  acasalados e o modo que eles são.

É melhor responder perguntas sobre tipos de pena e seus acasalamentos em uma exposição, onde se pode achar exemplares com a maioria das texturas  disponíveis. Como para aquela pergunta sobre o uso de um dos pares com uma grande sobrancelha, é necessário recorrer à extensão de sobrancelha do outro par. Se for um canário médio emplumado, pode ser correcto o acasalamento, porém se for outro com grande sobrancelha, pode ser um desastre. Triste dizer, que por consequência de anos de acasalamento errado por parte dos criadores, muitos dos nossos Glosters aparecem com quistos ou bolas de pena. Estes quistos são resultantes de acasalamento de canários sem avaliação de suas penas. Não se trata de tamanho do canário, mas da textura das penas.

Sempre emparelhe a pena curta para adquirir um equilíbrio. Dois canários de plumagem curta, acasalados, resultará na maioria dos casos, um canário de corpo estreito com coroa pobre e muito curto com entradas comprimidas na cabeça.

Dois canários de plumagem longa acasalados (que é o que a maioria dos criadores de Glosters faz com resultados desastrosos para aumentar o comprimento da coroa) resultará na maioria dos casos corpo largo, sem forma adequada, muito emplumado, produtor de quistos/bolas enormes. Os filhotes começarão a adquirir divisões na parte de trás do pescoço e costas e meio coletes no tórax, relaxamento nos flancos e alguns outros defeitos menores. As coroas começarão a adquirir aberturas e divisões na parte de trás. A maioria dos criadores não está atenta aos segredos da pena. Acordem! O resultado disso é que você vê tantos comprando por todo lado. Ganhando, então, num ano ou dois e depois, só tristeza. Azar ou falta de técnica na criação? A maioria dos criadores entende os mesmos fundamentos, como curto e longo, largo e estreito, contudo eles não conseguem identificar todas estas penas em seus próprios pássaros. "A Coroa é que coroa o êxito destas raças". Se for seu objectivo criar Coronas, então os faça produzir as coroas mais perfeitas que você consiga. Dê uma olhada, pesquise, veja o que o pessoal está fazendo, pergunte, veja o que há lá fora.

Não seja apenas um criador de canários, seja um campeão!

 

Como cortar as unhas

Como cortar as unhas dos seus pássaros